Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Você sabia que janeiro é a época em que as pessoas mais baixam aplicativos fitness que sugerem como levar uma vida mais saudável, praticar exercícios físicos e perder peso?

Mas sempre fica aquela pulguinha atrás da orelha: será que essa tecnologia é realmente capaz de nos manter motivados o bastante para não abandonarmos a dieta ou a academia?

O resultado de uma pesquisa realizada no Reino Unido indicou que 65% das pessoas fazem planos, mas somente 12% conseguem executá-los com sucesso.

Isso indica que não basta apenas fazer uso deste tipo de tecnologia, pois a forma como os dados são analisados fazem toda a diferença. O mais interessante é personalizar as metas nesses aplicativos.

Os melhores aplicativos de atividades físicas aprendem com o que você já realizou no passado para ajustar as metas, o que oferece um sentimento de conquista muito importante quando se muda certos hábitos.

Quando você é eficiente e cumpre uma meta, isso eleva tanto sua confiança, quanto as chances de atingir outras metas no futuro.

A faixa etária das pessoas que utilizam esse tipo de aplicativo é entre 20 e 50 anos, e cerca de 90% dos usuários que chegam até o quarto dia continuam a usá-lo por dois meses inteiros.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a obesidade é mais comum que a subnutrição. Isso leva os pesquisadores a acreditarem que aplicativos relacionados à saúde e à psicologia potencialmente podem mudar a maneira como comemos e nos exercitamos.

Da mesma forma que é muito importante pensar sobre como as pessoas estão comendo e o quanto de exercício estão praticando, é preciso conferir as credenciais dos aplicativos e rastreadores antes de começar a utilizá-los.

O que funciona para você vai depender muito da sua personalidade e do que te motiva.